Eletrônica para uma bancada doméstica

Eletrônica para uma bancada doméstica

Por: Glauber Rodrigues Leite

Atualmente, com a popularização da internet vieram milhares de tutoriais e guias do-it-yourself em diversas áreas, e.g. construção, eletrônica, gastronomia.  Pessoas têm acesso rápido a recursos que outrora teriam que investir bastante tempo e dinheiro. O risco de desinformação é compensado pelo poder que a comunidade provê para os indivíduos de aprendizagem e interação nos assuntos.

Maior ou grande parte da casa moderna é revestida por itens eletrônicos, então aprender eletrônica deverá se tornar um requisito nas moradias em um futuro não distante, mesmo que em um nível básico, seja para “quebrar um galho” de um celular ou de um microondas. O ganho de conhecimento e a redução nos gastos financeiros atraem muita gente para resolver os problemas domésticos por si só. Para a realização da atividade a preparação de uma bancada é necessária.
Esta postagem é um apanhado de direcionamentos e dicas para os interessados em construir uma bancada em seus domicílios, lembrando que o conteúdo foi desenvolvido focando numa bancada geral para atividades de eletrônica e microeletrônica, necessidades especiais podem fazer algumas instruções se alterarem.

Preparação do espaço

Fonte: Lbor Borrachas

Espaço é um elemento chave e deve ser visto com cuidado por não ser algo facilmente mutável. O ambiente deve ser claro, pois tratamos de componentes maior parte das vezes pequenos (parafuso, transistor, resistor) que podem se perder em locais de pouca luminosidade, gastando tanto tempo quanto paciência. Não é necessário, nem muitas vezes viável, uma sala exclusivamente para esses serviços, já que o objetivo não é profissional a priori, mas é interessante que exista facilidade para locomoção e presença de tomadas próximas à bancada. O tamanho da bancada fica por conta dos objetivos pessoais, microeletrônica digital geralmente não exige móveis que suportem muito peso, mas se existir a possibilidade de se deparar com algo maior, como um microondas, é importante pensar na sustentação que o móvel proporcionará ou montar o próprio (o que é um ótimo exercício).

Um recurso opcional, entretanto muito útil, é a manta ou lençol de borracha, geralmente feita de cloropreno [1], que traz vantagens como atrito para evitar que ferramentas caiam, facilita a limpeza da bancada e previne o desgaste da mesma por conta da solda.

Equipamentos

Existem no mercado kits de ferramentas de eletrônica, trazendo geralmente um ferro de solda, alicates, chaves de precisão e multímetro, o que é um ótimo quick start para os impacientes. Apesar do preço mais acessível, os kits geralmente não trazem materiais suficientemente potentes para tarefas mais complicadas e precisas.

Multímetro

Fonte: IMPAC

O multímetro é o canivete suíço dos medidores, ele consegue desempenhar em um só equipamento as funções de voltímetro (medir tensão), amperímetro (medir corrente) e ohmímetro (medir resistividade). É elemento chave no diagnóstico de problemas. Para maior precisão na medição, é importante checar se o aparelho é TRUE RMS [2][3].

Ferro e sugador de solda

Fonte: Webferramentas
O ferro de solda é um dos equipamentos com a aparência mais perigosa para os novatos, mas é projetado para ser fácil e seguro de manusear para quem tiver a instrução correta. Na maior parte das vezes os kits básicos acompanham um ferro de solda com potência de 25 à 30 Watts, o que é aceitável para microeletrônica, contudo não é muito confortável de usar para serviços de maior porte, aonde um equipamento de 60W assume um papel melhor.

Quando a existe muita solda nas trilhas da placa eletrônica, é possível que duas trilhas entrem em curto trazendo uma saída indesejada. É nesse cenário que o sugador de solda entra, com seu nome já sugestivo.

Alicates

Fonte: Wikipedia

Alicates amplificam a força aplicada pelo usuário para incidí-la sobre o objeto desejado [4]. Cada tipo de alicate segue esse princípio e tem suas peculiaridades. O alicate de corte tem função que condiz com seu nome cortando cabos facilmente quando bem amolado. O alicate de bico tem a ponta mais comprida e além de ajudar na manipulação de componentes, sejam cabos ou placas, ajuda a entortar fios.

Chaves

Fonte: Starrett

Mutios parafusos vão passar pela bancada e a chave de parafusos ou de fenda é quem tomará de conta deles. A chave de fenda é uma ferramenta que dispensa imagens por ser presente em praticamente todos os setores da engenharia e se tornar um item corriqueiro nas casas das pessoas. Para microeletrônica, chaves de precisão são o diferencial, pois em um mundo com dispositivos cada vez menores esse conjunto de chaves é essencial.

Recursos

Electrical_Fuse_(aka)
Fonte: Wikipedia

É natural para aqueles que se dedicam à essa prática acumular peças e componentes, cada placa que não pode ser mais recuperada é uma fonte de para garimpar fusíveis, capacitores, relés entre outras coisas mais. Todavia, é importante, a princípio, comprar recursos como fita isolante (anti-chama) e baterias (de 3 e 9 Volts).

Osciloscópio

Fonte: Wikipedia
Este item é para quem decidiu ir além do multímetro, entrando em um escopo aonde a variação em relação ao tempo importa. O osciloscópio é um aparelho que apresenta a variação de um sinal elétrico, como a tensão e outros atributos de acordo com o modelo do aparelho, no local em que são colocados os pontos de prova. É um componente muito útil para a construção de sistemas digitais e diagnóstico mais profundo de defeitos.

Segurança

Além de tomar o cuidado habitual com a eletricidade, e. g. não estar descalço nem com as mãos molhadas na prática da atividade, existe a questão da solda de estanho. A solda de estanho contém elementos prejudiciais à humanos, como o chumbo, e deve ser manuseada com cuidado, tanto em sua forma de tira como o vapor que sai do aquecimento, aonde torna-se indispensável o uso de máscara de gás e luvas de borracha

Conclusão

Dentre todos os itens discorridos na postagem, dois elementos-chave não foram ainda apresentados, são eles: Atitude e Criatividade. Atitude para procurar aprender mais sobre o assunto, pois o iniciante vai se deparar com problemas novos e choques de conceitos, descobrindo lacunas em coisas que achava que tinha aprendido que devem ser preenchidas com coisas a aprender (muitas pessoas acabam precisando revisar os conceitos de física do 3º ano médio). Criatividade é o passo que vai além, com a motivação e a experiência. John Petrucci (guitarrista da banda Dream Theater) falou certa vez que o que dá realmente um diferencial a um músico não é simplesmente tocar bem, mas é o ato de compor. Para começar a compor músicas é preciso aprender a tocar algumas que já existem. Pode-se fazer uma analogia disso com eletrônica, é importante saber como funciona, errar e consertar para que possa realizar o diferencial humano, a criatividade para construir coisas novas.

Referências

1. Lbor Borrachas. http://www.lborborrachas.com.br/produto/11_lencois-de-borracha/manta-de-borracha-para-bancadas.html. Acesso em 03 de Junho de 2016.

2. BRAGA, Newton C. RMS e TRUE RMS. Disponível em: http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/instrumentacao/108-artigos-diversos/4230-ins202.  Acesso em 03 de Junho de 2016

3. Wikipedia. https://pt.wikipedia.org/wiki/Mult%C3%ADmetro. Acesso em 03 de Junho de 2016.

4. Wikipedia. https://pt.wikipedia.org/wiki/Alicate. Acesso em 03 de Junho de 2016.

Anúncios

Um comentário em “Eletrônica para uma bancada doméstica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s